10.29.2006

Meu caro Gus: a coisa aqui tá preta...

Tudo em paz e harmonia. Luz em xeque-mate num lance de cores e alegria. Tudo se salva numa tarde luzidia.

Aqui, deste escritório, diviso um mural de heras, acácias e pitangueiras, num cenário de tranqüilidade. Lembrou-me as plantas de Principe que me olham desde sempre.

As frágeis criaturas gustavianas o acompanharam nos passos finais desse bailado louco que é a vida. Ei-las aqui, para todo o sempre.

Eu fiquei um pouco mais, triste. Tardo ainda, caro Gus. Neste país que te acolheu se ensaia uma nota triste. Bossa_velha, hard_populismo, o sonho_mais_que_acabado do arcaísmo imbecilizante, resgatado pela política rastaquera.

Patético. O sonho refém de alguns dólares na cueca.

1 Comments:

Blogger diego said...

genial!! yo lo conocí personalmente!! qué tipo! nunca más tipos como él? gracias, obrigado, otro uruguayo que conoció brasil.

10:16 PM  

Postar um comentário

<< Home